Já tínhamos falado sobre a possibilidade da Sigma lançar uma grande-angular da linha ART para sensores Full Frame, mas os rumores apontavam para que fosse uma nova versão da 24-70 F/2,8. No entanto, depois da marca lançar a 18-35 F/1,8 HSM (primeira, e única, objectiva zoom com esta abertura máxima), também aqui tínhamos mencionado que a Sigma podia surpreender e lançar uma grande-angular a exemplo da 18-35, mas para sensores Full Frame, tornando-se inovadora e única no mercado (por exemplo, uma 24-70 F/2). O que se veio a confirmar, embora com distâncias focais diferentes, com esta 24-35mm.

 

De acordo com a Sigma, esta objectiva oferece a “excelência da qualidade óptica da gama ART, garantindo uma performance incrível, luminosidade e um bokeh atrativo”. Além disso, é dotada de Motor de Focagem Hipersónico, para um foco automático mais rápido, preciso e silencioso, sendo também uma boa opção para fotografia macro, pois permite uma distância mínima de focagem de 28cm. Já na parte óptica, foram utilizados elementos asféricos e vidro de elevada qualidade, reduzindo, deste modo, aberrações cromáticas, flares, e assegurando nitidez e imagens de grande contraste, mesmo em situações de pouca luminosidade. “Mesmo na sua abertura máxima, esta objectiva proporciona uma qualidade de imagem de cortar a respiração”, sublinha a Sigma.

 

À primeira vista, as distâncias focais podem causar alguma apreensão, não sendo, por norma, um intervalo de zoom muito usual. Mas tem uma explicação. “A Sigma estava determinada em lançar algo que garantisse a mesma qualidade óptica de duas das suas mais conceituadas objectivas - a 24 e a 35mm ART – mas numa única objectiva”, explica a marca em comunicado. Na prática, a ideia é que os fotógrafos possam usufruir da performance dessas duas primes mas numa objectiva zoom, conseguindo, assim, maior versatilidade e comodidade.